dijous, 19 de novembre de 2009

In the mood for Love

Quando vi esse filme há muito tempo não sabia nada da vida e ainda menos da paixão. Agora que sei, não sei nada de mim, e preciso de fazer um parêntese para entender tudo quanto aconteceu comigo. É difícil entender.

diumenge, 15 de novembre de 2009

dimarts, 27 d’octubre de 2009

Parabéns

Ontem pus a mão sobre o peito de S. O coração disparado palpitava com força. O celular na mão e a cara nervosa, com músculos contraídos. Depois de uns segundos, tensão, e o sorriso apareceu na boca. Por fim uma boa notícia para levantar a moral. Estávamos precisando.

divendres, 23 d’octubre de 2009

Despedidas/Partidas/Departures

Adorei este filme de Yohiro Takita. A história está muito bem relatada. Os costumes do Japão, bem retratados e fascinantes. O protagonista é brilhante. E eu, passei da gargalhada ao choro sem saber como. Precisei que me dessem a mão.

Não percam.



dijous, 15 d’octubre de 2009

Alguém dixit

"A diferença entre um europeu e um brasileiro é que o brasileiro não se envergonha de dizer que é feliz, e o europeu, sim".

divendres, 25 de setembre de 2009

Professor

Sou professor. Trabalho no ensino há sete anos já. E cada curso, cada instituto, cada lugar é assim tão diferente. Estamos nos primeiros dias de aula. Os meninos ainda não me conhecem. Eu também não a eles. Me indagam. Alguns tem vergonha e abaixam os olhos quando reparo neles. Outros fitam sem medo. Os olhos perguntam, penetram, sentem curiosidade. Há quem, diretamente, desafia. Os professores, quem sabe porquê, somos os representantes desse mundo que os oprime.
A passada semana foi difícil ir trabalhar. Sentia vergonha, uma vergonha muito pesada. Custava olhar nos olhos de qualquer um, grande ou pequeno. Acho que alguns alunos repararam. É didícil demais ocultar fraquezas. Houve um, que me olhou tão profundamente, e com uns olhos verdes tão transparentes, que tive vontade de me confessar com ele.
Hoje um menino se aproximou à mina escrivaninha. Percebi o seu cheiro a roupa limpa, cheirosa. Imaginei como era sua mãe. Lembrei-me da minha. Me deu um papel dobrado, fez um sorriso sincero e voltou para seu lugar. O abençõei em silêncio.

dimarts, 22 de setembre de 2009

Sozinho, desci no Inferno,

Não gostei o que vi,

O diabo existe, credo.

Machuquei,

Muito.

Eu sei.

Vou apagar esses fantasmas todos,

Acredite em mim.

Vou-te fazer feliz,

Porque eu te amo.

Desesperadamente.


Eu te amo.

dimecres, 9 de setembre de 2009

Dias sim, dias não, eu vou sobrevivendo sem um arranhão...

1. Não me transferiram para longe de Valência, respirei fundo.
2. O S. não foi embora, e não fiquei maluco. Bom, pelo menos não ultrapassei a linha que os médicos marcam para eles terem mais trabalho.
(Objetivos para o novo curso)
3. Comecei a natação de novo, primeiro passo para atingir o "bem-estar" pessoal. Ponto para mim!
4. Fiz caso ao Valentín Fuster, tento -ainda que não sempre consigo- dedicar um tempo a refletir, para que minha parte racional não fique sob a tirania da irracional. Essa que mora aqui no meu estômago como hóspede habitual. Vou poder com você, não esqueça que sou teimoso demais.
5. Meditar. O terceiro objetivo tá mais complicado porque ainda não sei como é que se consegue isso. Faz falta treino. Paciência D.
Por último: vou tentar escrever mais, acho que estou precisando.

divendres, 7 d’agost de 2009

Submersió primera

He viscut sempre perdut dins una jungla d'interrogants, sense tocar parets, orfe de certeses. Sempre he triat camins abruptes. Camins ignots amb destinació ignota. Avance quan no sé on vaig. No sé mai on vaig. Cada matí comence una pel·lícula de què ignore la fi. (...) visc en dissidència dels costums i comportament del veïnat, i alimente la fama de misantrop, de maniós, d'esquerp. La gent no accepta les llibertats dels altres, per minses que siguen; no tolera l'individu escindit del ramat.

dilluns, 3 d’agost de 2009

Cazuza

Por fim vimos o filme inteiro. Mais uma diciplina no meu mestrado particular em cultura brasileira. Percebi quase tudo (tô melhorando meu português brasileiro, né?). Já vou-me sentindo até um alumo avançado! Do Cazuza só posso dizer que foi um doido, egoista, interesseiro, um autêntico filinho de papai. As letras que compôs, não obstante, são boas demais, nisso sim foi um fera.

dissabte, 25 de juliol de 2009

Paciència/ Paciência

Por que as músicas brasileiras são tão certas?!

divendres, 24 de juliol de 2009

Tempo

Ha mais de oito meses. Há esse tempo que conheci o S. Já quase tudo passou conosco. Desde a deseperação, passando pelo "pior não pode ir", até o mais lindo que pode acontecer a dois garotos .

E parece que definitivamente vai embora. Mais além do Atlântico e longe demais de mim. Compreendo as razões, não têm contestação. Compreendo ele, e ele sabe. Mas fico com raiva, também é legítima, tô triste.

Entre ele e eu podem faltar só dias (coisa mais difícil de engolir!). Como antes só faltaram semanas, meses, tempo, uma delícia partilhar com ele.

Já fizemos antes um caminho. Chegamos lá mais fortes do que antes, e mais perto o um do outro do que é difícil imaginar. Este outro caminho de agora ainda não chegou ao destino e tem diante planos e coordenadas múltiples que superar. Quem sabe.

Uma música que chegou como regalo, falava: mais nada vai conseguir mudar o que passou, quando eu penso em alguém só penso em você, e então aí estamos bem...

Penso. Choro. Sorrio. Tô.

D.

diumenge, 17 de maig de 2009

Do começo ao fim

(...)Eu te amo, porque para entender o nosso amor seria preciso virar o mundo de cabeça para baixo.

dissabte, 16 de maig de 2009

Con la confianza que sólo le ofrece El Corte Inglés

Ontem fui ao supermercado de El Corte Inglés. Andava meio zonzo e com vontade de ir embora o mais cedo possível. Não gosto dos centros comerciais, têm alguma coisa que consegue me por nervoso. Neste caso concreto porque é cheio demais de pessoas muito metidas que gostam de aparentar o seu privilegiado nível de vida. Mesmo assim, ia à procura de alguns produtos brasileiros que só ali pode-se encontrar.
Achava-me na seção de comidas pré-cozidas e uma menina, de cabelos loiros e com rabinho, de uns dez anos, chamou a minha atenção. Queria uma pizza e brigava com a mãe por causa disso. Justamente nesse momento que eu passava ao lado, a menina soltou: Pô mãe, você só olha as promoções! A senhora, aflita pelo comentário, virou-se de costas e deu uma olhada ao redor. Quando se apercebeu da minha presença, a mulher enrubesceu. Imediatamente disse à menina: Não seja boba, qual quer você, essa mesma, então tá, levamos. Eu olhei distraidamente para a frente e afastei-me do lugar.
De menino, eu comia o que minha mãe colocava no prato. Nunca tínhamos Coca-cola na minha casa, nem pão de forma, nem patê "la Piara", nem luxo nenhum. Eu sabia porque não e não fazia questão de reclamar nada. A mãe e a filha de El Corte Inglés pertencem a uma outra geração. Sem se aperceber, ou talvez sim, a mãe deixou passar um boa ocasião para ensinar à menina sobre as coisas da vida.
Pelo menos achei os chocolates Garoto que fui lá procurando. No final das contas, nem tudo é ruim nesse Corte Inglés...

dimarts, 12 de maig de 2009

25 de abril, dia dos valencianos e da liberdade.

Uma vez mais, neste dia celebramos que o nosso povo continua vivo. Com os seus grandes problemas, sim, sem rumo certo, também, mas com uma vontade imensa de continuar neste mundo sendo nós mesmos: valencianos/valencians!
E que grande prazer assistir de novo a um concerto de Raimon. Um desses cantores que é capaz de expressar-se por todos nós, e de aquele jeito que só ele sabe. Eu te adoro!

Parlant-me de tu.

diumenge, 3 de maig de 2009

Dia do trabalho, dia da mãe, dia de reflexões.

  1. O trabalho é a terapia do dia-a-dia. Se faltar, há perigo na esquina.
  2. As mães são mães, e não há trabalho mais corajoso.
  3. E quando alguém passa todo o seu tempo com alguém que sabe que vai embora, fá-lo por vontade própria, porque quer, por teimosia, ou por simples desafio ao destino. Outros (entre os quais o seu alter ego) dirão que por medo, loucura e insensatez. Sei lá.

dijous, 30 d’abril de 2009

Imigrante

Ontem à tarde, passeando pela cidade de Valência meu companheiro e eu, dois caras "de paisano" tiraram do bolso duas plaquinhas de polícia e pediram-nos a documentação. Ficamos supreendidos. Era mesmo um filme de Hollywood. Eu não acreditava, e o primeiro que pensei foi que quando tirasse minha carteira, eles roubavam-me e iam embora.


Olharam nossas caras de lerdos e repetiram: documentação! Falavam a sério. Talvez escutaram-nos falar português, talvez foi por acaso. Eu até perguntei a um dos policiais senão estavam de brincadeira. Respondeu muito sério que não. Nós demos o DNI e o NIE (bilhete de identidade provisional e para estrangeiros), comprovaram por telefone que éramos bons cidadãos e sem antecedentes, e continuamos o passeio entre risos e lembrando do que tinha acontecido.

O pior é que muitos outros não tiveram tanta sorte, com certeza. O Ministério do Interior vai à caça de imigrantres em situação irregular. Agora que chegou a crise e o desemprego subiu tanto, por enquanto, muitos já não são bem-vindos. Meter-se na pele de um "imigrante" na conjuntura actual é começar a tremer.

Fui à cama com um imigrante. E, sentindo-me mais um imigrante nesta terra tão minha e tão alheia, adormeci.

dimecres, 29 d’abril de 2009

Planos para o futuro...

...não fazer planos.

Greve/Vaga

O meu país, as vezes e só as vezes, parece o meu país.

dimarts, 28 d’abril de 2009

Caminho de Santiago


Há uma semana que cheguei de fazer o caminho de Santiago. Já houve tempo de descansar o corpo e a alma, e de pensar. Viver é caminhar, só isso. Alguns percursos, acompanhado; noutros, completamente só. É achar pessoas e perdê-las no caminho. Partilhar uns sorrisos e cantarolar alguma canção. É mesmo caminhar sob uma trovoada como esquentar o corpo ao sol. Também a coragem para chegar à meta e a fraqueza de crer não chegar. E passar por todos os estados de ánimo possíveis.

Numa descida muito bela, deixando atrás a neve de Foncebadón, o meu companheiro de viagem falou: Há coisa mais grande que andar entre as montanhas? Pois é. Não há nada. Acabábamos de atravessar as núvens (as núvens!), e olhando os enormes vales desde a ladeira, contemplámos uns raios de sol desenhando uma paisagem simples, espectacular. E nós ali, mesmo Deuses.

Eu quero é caminhar...

divendres, 24 d’abril de 2009

Estou de volta



Cal que neixin flors a cada instant.

Composició: Lluís Llach.

Fe no és esperar,
fe no és somniar.
Fe és penosa lluita per l'avui i pel demà.
Fe és un cop de falç,
fe és donar la mà.
La fe no és viure d'un record passat.

No esperem el blat
sense haver sembrat,
no esperem que l'arbre doni fruits sense podar-lo;
l'hem de treballar,
l'hem d'anar a regar,
encara que l'ossada ens faci mal.

No somnien passats
que el vent s'ha emportat.
Una flor d'avui es marceix just a l'endemà.
Cal que neixin flors a cada instant.

Fe no és esperar...

Enterrem la nit,
enterrem la por.
Apartem els núvols que ens amaguen la claror.
Hem de veure-hi clar,
el camí és llarg
i ja no tenim temps d'equivocar-nos.

Cal anar endavant
sense perdre el pas.
Cal regar la terra amb la suor del dur treball.
Cal que neixin flors a cada instant.

dissabte, 7 de febrer de 2009

Só hoje



Hoje eu preciso te encontrar de qualquer jeito
Nem que seja só pra te levar pra casa
Depois de um dia normal...
Olhar teus olhos de promessas fáceis
E te beijar a boca de um jeito que te faça rir
(que te faça rir)

Hoje eu preciso te abraçar...
Sentir teu cheiro de roupa limpa...
Pra esquecer os meus anseios e dormir em paz!

Hoje eu preciso ouvir qualquer palavra tua!
Qualquer frase exagerada que me faça sentir alegria...
Em estar vivo.

Hoje eu preciso tomar um café, ouvindo você suspirar...
Me dizendo que eu sou o causador da tua insônia...
Que eu faço tudo errado sempre, sempre.

Hoje preciso de você
Com qualquer humor, com qualquer sorriso
Hoje só tua presença
Vai me deixar feliz
Só hoje

(solo)

Hoje eu preciso ouvir qualquer palavra tua!
Qualquer frase exagerada que me faça sentir alegria...
Em estar vivo.

Hoje eu preciso tomar um café, ouvindo você suspirar...
Me dizendo que eu sou o causador da tua insônia...
Que eu faço tudo errado sempre, sempre.

Hoje preciso de você...
Com qualquer humor, com qualquer sorriso!
Hoje só tua presença...
Vai me deixar feliz.
Só hoje (repete 2x)

dimecres, 28 de gener de 2009

"Tivesse eu, como as minhocas, cinco corações, e um estaria em festa, outro apertado de angústia, o terceiro em fúria, o quarto duvidando do mundo e o quinto, simplesmente, ardendo de paixão. No meu único coração todos estes sentimentos se confundem, e assim, violentamente confundidos, produzem em mim uma exitação geral, que não sou capaz de controlar ou sequer de definir."

"A solidão é óptima, desde que haja alguém com quem possamos conversar sobre isso."

"Quando penso no passado, existe o antes e o depois, e antes eu era uma criança, e não sabia o que era a felicidade, e depois perdi a inocência é ja não sei ser feliz outra vez."

"A eternidade deve ser, de alguma forma, uma espécie de fotografia (um lugar sem tempo) dos momentos bons e maus que nós vivemos. E assim, pela eternidade, os estaremos vivendo sempre, e o inferno será isso e o paraíso também."


Agualusa, José Eduardo, Nação crioula.

dimecres, 21 de gener de 2009

Não Chores Mais

Bem que eu me lembro
da gente sentado ali
na grama do aterro sob o sol
ob-observando hipócritas
disfarçados rodando ao redor
amigos presos,amigos sumindo assim
pra nunca mais
tais recordações retratos do mal em si
melhor é deixar pra trás

Não,não chores mais
não,não chores mais

Bem que eu me lembro
da gente sentado ali
na grama do aterro sob o céu
ob-observando estrelas
junto a fogueirinha de papel
quentar o frio
requentar o pão
e comer com você
os pés de manhã,pisar o chão
eu sei a barra de viver
mas se Deus quiser
tudo,tudo,tudo vai dar pé
tudo,tudo,tudo vai dar pé